5 de abril de 2019

Oportunidades de um mundo sem dinheiro

Por Yan Tironi – CEO do BBNK

O papel moeda e os cartões físicos estão, a cada dia, mais fora de moda e é só uma questão de tempo para que tenham o mesmo destino dos talões de cheques, tão comuns uma década atrás. Os motivos são simples: já existem dispositivos móveis, como celulares, smartwatchs e pulseiras, para a realização de pagamentos e a biometria está chegando para ficar.

Algumas experiências realizadas em países como China, Austrália e Estados Unidos dão as indicações de como nossa experiência de compra está mudando e se transformará radicalmente nos próximos anos.

Uma reportagem de dezembro da BBC News, The bar where your cash is worthless, assinada por Chris Baraniuk, traz exemplos de estabelecimentos que já abriram mão do pagamento em papel moeda. Entre as tendências está a adoção crescente de equipamentos leitores que funcionam por aproximação, sem contato com qualquer meio físico.

Essa tendência do fim das notas, moedas e cartões tem sido reforçada pela popularização de aplicativos multifuncionais e das formas de pagamento previamente cadastradas, como já acontece nos aplicativos de táxis e de pedidos de comida para entrega. Plataformas nichadas como a ZIGPAY e a ZAKPAY, por exemplo, através do seu aplicativo para clientes, oferecem a possibilidade de consumo em bares, eventos e restaurantes sem a necessidade de passar no caixa ou pedir uma conta ao garçom.

O melhor exemplo de aplicativo multifuncional talvez seja o WeChat, utilizado por mais de um bilhão de usuários na China. Além de aplicativo de mensagens, ele reúne muitas outras funções, como serviços de pagamento, transferência de dinheiro e contratação de seguros. Há estabelecimentos naquele país que só aceitam pagamento via WeChat.

A transformação proporcionada pela tecnologia e o desenvolvimento dos meios de pagamento é capaz de gerar muitas oportunidades para empresas preocupadas com a jornada e a experiência de compra de seus clientes.

Para navegar por essas novas águas, é sempre bom contar com quem já conhece as melhores rotas. As subadquirentes white label, por exemplo, são aliadas importantes, pois detêm tecnologia e podem ajudar no processo de adequação dos meios de pagamento às necessidades de cada nicho de mercado.

Ganharão terreno as empresas que conhecerem melhor as necessidades e exigências de seu público e construírem a melhor experiência de compra. São essas organizações que ditarão as regras e definirão o modo como lidaremos com as experiências de compra nos próximos anos.

Deixe um comentário